Evandro Martins


(PT) Em nossa jornada, nós escolhemos as virtudes que queremos ter ou são as virtudes cabíveis à nós que escolhem nos ter? Não temos a resposta, mas temos aqui uma mostra real de ser humano que carrega consigo o creme de la creme, o grau superlativo das virtudes que todos skatistas possuem, ou deveriam possuir além da técnica sobre o skate.

Evandro Martins, mais conhecido por Gringo, apresentou toda sua humildade e sua autenticidade na conversa que tivemos por WhatsApp, logo após sua última passagem pelo Rio de Janeiro, onde esteve com o nosso fotógrafo, Frederico Vegele, em várias sessões de rua. Confira abaixo.

(EN) On our journey, we choose the virtues we want to have or are the virtues that fit us who choose us? We don’t have the answer, but here we have real proof of a human being that carries with him the creme de la creme, the superlative degree of virtues that every skateboarder has, or should have beyond skateboarding abilities.

Evandro Martins, commonly known as Gringo, presented all his modesty and authenticity on the conversation we had via WhatsApp, right after his last trip to Rio de Janeiro, where he got together with our photographer Frederico Vegele, in various street sessions. Check below.

Interview by Marlon D. Oliveira.
Photographs by Frederico Vegele.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_photo-by-Frederico-Vegele-03(PT) E aí, Gringo… Onde você tá?

Tô em São Paulo. Acabo de voltar do Rio de Janeiro. Tô me mudando. Vou começar uma nova fase aí… Muito skate, skate verdadeiro, e é isso. Uma nova fase da vida se inicia.

Você tava fazendo o quê no Rio?

Na verdade eu fui pra correr o Braddock Sessions do Nilo (Peçanha), que foi um evento muito style. Rolou também o Arte Core, com o obstáculo do Ned (Renato Custódio). Foi vibe também. Aí aproveitei pra ficar duas semanas filmando com o João, pra finalizar o vídeo da Quadra Supply. A gente já fez um de HD e o foco agora foi mais de VX.

Basicamente foi isso. E os eventos que rolaram foi mais uma consequência de estar lá.

(EN) What’s up Gringo… Where you are?

I’m in São Paulo. Just got back from Rio de Janeiro. I’m moving. I’ll start a new chapter… A lot of skateboarding, true skateboarding, and that’s it. A new chapter in life begins.

What were you doing in Rio?

Actually I went for the Braddock Sessions, which was a very cool event. There was also Arte Core, with Renato Custódio’s obstacle. It was good vibes too. Then I took advantage of it and stayed for two weeks filming with João, to finish the Quadra Supply video. We did one in HD and now the focus was VX.

Basically that was it. And the events that happened were more of a consequence of being there.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_photo-by-Frederico-Vegele-01(PT) O quê podemos esperar desse novo vídeo da Quadra?

Mano, esse vídeo vai ser muito foda. O João (Dutra), da Quadra, é um maluco sensacional, ele sabe muito bem passar energia pros outros. Vai ser um vídeo muito natural. Vai ter as bombas também. Um vídeo que eu tenho certeza que vai revolucionar a cena do Brasil. Essa ideia de ter uma crew – um monte de amigos que se divertem andando de skate. É exatamente isso que o vídeo passa.

A gente tem o João que tem uma visão além… Ele é uma inspiração pra mim. Esse vídeo é completamente suor e esforço do João. A gente como skatista é mais uma consequência ali no vídeo dele, porque o maluco passa toda a vibe pra gente, toda a energia. Te falar que eu acho que é o projeto que eu mais me identifiquei, onde eu realmente quis dar o meu melhor. Aguarde que esse vídeo sai logo mais e vai ser muito ‘da hora’, mano. Muito, muito ‘da hora’.

(EN) What can we expect from this new Quadra video?

Dude, this video is gonna be sick, João Dutra, from Quadra, is an amazing fella, he knows very well how to pass the energy to others. It’s going to be a very natural video. There will be bombs too. A video I’m sure will revolutionize the Brazilian scene. This idea of having a crew – a bunch of friends that have fun skating. That’s exactly what the video spreads.

We have João who has a vision beyond… He is an inspiration to me. This video is 100% João’s sweat and effort. We as skaters are more of a consequence there on his video, because the guy transmits all that vibe to us, all the energy. I can say that I believe this is the project I have identified the most with, where I really wanted to give my best. Wait cuz this video is out soon and it’s going to be awesome, bro. Very, very awesome.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_photo-by-Frederico-Vegele-02(PT) O que rolou lá, que você quase foi preso durante uma sessão?

Isso foi num pico, no prédio do Fórum, cheio de polícia. Quando a gente tava filmando o outro vídeo de HD, eu fui tentar uma parada lá e a gente tomou o maior esporro, aí ficamos meio assustados. Passou um tempo, voltei pro Rio e começamos o projeto de VX… Aí, mano, a gente tava andando ao lado, no monumento que faz parte desse prédio também, e o Serginho (Sergio Santoro) tava rendendo uma trick. Aí o Serginho acertou a manobra, foi  ‘style’,  vibe. Mas aí o segurança chegou e mandou a gente ralar. Falo que entende o nosso trampo, mas que não dava e tal. Mas eu tava tão alimentado pela vibe, que eu queria voltar a trick. Porque eu tinha voltado a manobra de manhã, só que a VX deu pau e não pegou. E aí eu tinha que ir lá fazer de novo, tá ligado!? Então fui lá, acertei a manobra, foi ‘da hora’, e assim que eu acertei já veio o segurança – o mesmo segurança que expulsou a gente do pico antes -, muito de cara. Já chegou me puxando, me jogando na parede. Falou que ia me levar pra delegacia. Maior desenrolo. No fim das contas, não fui preso e consegui voltar a manobra. Foi ‘da hora’! Desculpa aí guardinha do Fórum, você é sangue bom, mas o skate chamou.

(EN) What happened there, that you almost got arrested in the middle of a session?

This was at a spot, at the Courthouse building, full of cops. When we were filming the other video in HD, I went there to try some stuff and we got straight up lectured, then we got a little frightened. A while later, I went back to Rio and started the VX project with João… Then, dude, we were riding next to a monument that is part of this building too, and Sergio Santoro was trying a trick. And Sergio hit the trick, it was awesome, great vibes. But then the security guard came and told us to split. He said he understands our job, but we couldn’t stay and whatnot. But I was so fueled by the vibe, that I wanted to hit the trick. Because I got it right in the morning, but the VX didn’t record it. And then I had to go there and do it again, you know!? So I went there, hit the trick, it was cool, and as soon as I got it the security guard came – the same one who kicked us out earlier -, very pissed. He started pulling me, putting up against the wall. Said he was taking me down to the station. A long conversation. In the end, I wasn’t arrested and could get the trick. It was awesome! Sorry there courthouse security guard, you’re a nice dude, but the skateboarding called me.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_photo-by-Frederico-Vegele-04(PT) E como foi sua temporada na Europa? Faz um diário de bordo resumidão aí pra nós.

A Europa foi uma doideira, mano. Eu nunca tinha feito isso, na verdade, de só me jogar… Eu só tinha passagem de ida, nem tinha de volta, e fui com apenas 80 Euros, de última hora. Acabou que deu tudo certo, mano. Na verdade o skate salvou. Eu não sou muito de correr campeonato, essas coisas, fico nervosão, mas acabou dando boa. Toda vez que eu ia num evento conseguia algum dinheiro de premiação e fui me carregando através disso.

Foi uma experiência de vida. Fiquei quatro meses nessa função até que eu consegui erguer o dinheiro da volta, consegui achar uma passagem barata. Não me arrependo nem um pouco de ter ido. Passei muito perrengue, mas foi uma viagem que eu vou levar pra vida.

(EN) And how was your season in Europe? Give us short trip log.

Europe was crazy, bro. I had never done that, actually, to just go… I had a one way ticket, and only 80 Euros. It ended up going well, man. Actually the skateboarding saved it. I’m not a guy of contests, I get really nervous, but it all ended up good. Every time I went to an event I got some prize money and carried on that way.

It was a life experience. I stayed for four months like this until I got the money to come back, I was able to find a cheap ticket. I don’t regret going there at all. I went through a lot, but it was a trip I’ll keep for life.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_portrait-thumbnail-by-Frederico-Vegele-02(PT) Falando nisso, o quê mais influência positivamente sua atuação nos eventos?

Eu não sei, na verdade, o que me puxa. Eu me inspiro muito nos outros e os eventos que tem lá na Europa tem um skate totalmente diferente do Brasil. Os campeonatos lá tem muito mais apoio, é mais ‘true’ mesmo. A galera se diverte. Não é uma coisa: “Ah, vou ganhar! Vou ganhar!” É mais um: “Nossa, que da hora. Vamos andar nesse bagulho e vai ser da hora. Foda-se o que acontecer!” O que me inspira mesmo é isso, tá ligado? Todo mundo se divertindo, rindo, tomando breja. Mano, isso daí que me fez andar do jeito que andei. E é isso, eu tento sempre me inspirar nos outros. Porque o meu skate é muito isso. Eu observo muito, aprendo muito com os outros, e sou grato por isso. O skate me ensinou isso.

(EN) By the way, what positively influences your performance on these events?

I don’t know, actually, what pulls me. I get really inspired by the others and the events they have there in Europa have a totally different skateboarding from the ones in Brazil. The contents there have much more support, it’s more real. People have fun. It’s not like: “Oh, I’m gonna win! I’m gonna win!”. It’s more like: “Wow that’s so cool. Let’s ride and it will be great. Fuck whatever happens!” What really inspired me is that, you feel me? Everyone having fun, laughing, drinking beer. Bro, that’s what made me ride the way I did. And that’s it, I always try to get inspired by others. Because my skateboarding is mostly that. I observe a lot, I learn a lot with other people, and I’m grateful for that. Skateboarding has taught me that.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_photo-by-Frederico-Vegele-05(PT) Você é um cara que se diverte tanto nas transições quanto nas ruas com muita originalidade. O quê você pensa das crianças da nova geração, com um skate espelhado em suas influências?

Mano, felizmente o skate tá tomando um rumo muito grande. Os moleques de hoje em dia crescem vendo os malucos que tão fazendo uns bagulhos que antigamente era impossível. O skate tá dando um grande pulo. Tá avançado. Não tenho nada contra o ‘hype’, mas eu tento nem ligar pra essas coisas. Eu busco mais vê a pureza nos outros. Porque, mano, você consegue ver de longe quem tá disfarçado, né!? Você é você ou você é os outros? Eu busco ser sempre eu e é isso. Se a pessoa se inspira tanto em outra pessoa, a ponto de querer ser igual, ‘da hora’ também, mano. Mas eu tento sempre ser ‘true’.

(EN) You’re a guy that has a great time in transitions and also on the streets with a lot of originality. What do you think of the new generation kids, with a skateboarding that’s based on your influences?

Dude, fortunately skate is going towards a very big direction. The kids today grow up watching skateboarders doing stuff that in the old days would be impossible. Skate is giving a great leap. It’s advancing. I don’t have anything against the hype, but I try not to pay attention to that stuff. I search for the purity on others. Cuz, dude, you can see from a far who’s in disguise, right!? You are you or you are the others? I try to always be me and that’s it. If a person inspires another person that much, to the point of wanting to be the same, that’s cool too, bro. But I always try to be true to myself.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_portrait-by-Frederico-Vegele-01(PT) Entre seus patrocínios, tem uma marca com um senso de humor acima da média. Como aconteceu sua aproximação com a Bolovo e aqueles malucos?

Como é que eu me envolvi com esses malucão? Meu senhor… Eu conheci através de dois amigos meus, na época que eles tavam fazendo MTV – A Casa. E eu e meus amigos fomos convidados pra ir pra lá. Foi aí que eu conheci esses malucos. Tomamos conta de uma casa abandona em Guarujá, só bagunça. Aí passou uns anos, eu tava vendo a Bolovo fazendo mais umas paradas, mais umas roupas, como marca mesmo, e acabou que eu mesmo cheguei neles e dei a ideia. Eles curtiram e a gente fechou essa parceria. Tô envolvidão, eu considero família mesmo.

(EN) Amongst your sponsors, there’s a brand with a sense of humor above the average. How did you get close to Bolovo and those nuts?

How did I get involved with these nuts? My lord… I met them through a couple of friends of mine, when they were doing the “MTV – A Casa”. Me and my friends were invited to go there. It was then that I met these nuts. We took over an abandoned house in Guarujá, a pure mess. The a few years passed by, I was watching Bolovo do more stuff, more clothing, like a real brand, and I ended up contacting them and giving the idea. They liked it and we partnered up. I’m truly involved, I consider them true family.

OYE-Magazine-Evandro-Martins-interview_photo-by-Frederico-Vegele-06(PT) ‘Da hora’, mano. Obrigado pela entrevista. E boa sorte com a mudança!

Eu agradeço aí pela oportunidade. Agradeço você, agradeço o Fred também. Agradeço todo mundo que já me ajudou. Todo mundo que já mexeu um dedo pra fazer algo por mim será recompensado. Sou muito feliz pelo skate e todos amigos que eu tenho. Muita paz.

(EN) Cool, bro. Thanks for the interview. And good luck moving!

I thank you for the opportunity. Thank you, thanks Fred also. I thank everyone who helped me. Everyone who moved a finger to do something for me will be rewarded. I’m really glad about skateboarding and all the friends I have. Much peace.


___

RELATED ARTICLES